sexta-feira, 30 de julho de 2010

O cavaleiro, parte 2: Chance...

Cavaleiro. Cavaleiro. Cavaleiro. Não enxergas por onde anda? Olhe! Lá está o que vc tanto busca... esse amor que tanto desejou. Se arraste até ela, peça seu perdão. Implore um momento ao seu lado. Mas peça! Peça agora enquanto tem chance. Por que amanhã será tarde demais... e tu sabes disso, nobre cavaleiro. E criando coragem, jogando fora toda a timidez e medo. Chego até vc. E olhando nos seus olhos, busco fôlego mais fundo que posso, para dizer as palavras que jamais ousaram dizer. Oh, meu amor. Olhe para mim, de joelhos por ti. Estendendo a mão para que tu aceites meu coração, meu corpo e minha alma. Não forço a ti nada... apenas deixe o coração te guiar, meu doce anjo. E olhando para os olhos de seu único e verdadeiro amor. O cavaleiro fica em silêncio... esperando aquele momento que sempre buscou. O momento... dela realmente dizer que o quer. Que quer sentir seu toque... sua boca com a dela. Seus cabelos. Seu corpo. O momento em que ela realmente dirá sim para ele. Para que ele a faça a pessoa mais feliz que existe. Esse momento... que só o amanhã poderá dizer... o amanhã... em que ele clamará pelo seu amor.

... não deixe esse cavaleiro em ruínas. Não esse cavaleiro que é o mais bondoso de todos. Esse cavaleiro que realmente, te ama como jamais viu em sua vida.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

O cavaleiro, parte 1: De joelhos.

E nas ruínas desse reino, está o cavaleiro de joelhos. Ele está chorando. Indefeso nesse mundo que o cerca... Mas por que um homem de tantas glórias chora assim? Por que seu amor não é correspondido por aquela que tanto ama... E ele sabe que, sem ela a cada dia que passa, caí em desgraça. Não sabe o que fazer agora o nobre cavaleiro... não sabe como mostrar ser digno do amor de sua amada. Ele chora ajoelhado nas ruínas do seu reino... olhando ao redor o que poderia ajudar... mas nada acha. Ela sabe do seu amor... ela sabe de como realmente é forte esse amor... mas mesmo assim ela se vira para partir. A tristeza toma conta do cavaleiro. Por que todos reconhecem a sua luta, menos aquela que tanto ama. Ajoelhado, se apoiando em sua espada, o cavaleiro busca esperanças. Uma chama de fé dentro de si. Para continuar sempre lutando por esse amor... Minha amada, por que me deixa assim? Estou dando a forma mais pura do sentimento que tantos... tantas buscam em sua vida. A forma mais nobre que poderia dar do amor... e mesmo assim ele não é suficiente para ti. Aqui está o cavaleiro de joelhos. Suplicando um milagre. Suplicando... seu amor.

domingo, 25 de julho de 2010

Trecho de Contos do cavaleiro.

"Steffan olha a chegada do desconhecido guerreiro. Todos se afastam dele enquanto se dirige para a sala real. Ele transmite medo. Solidão. Seu olhar é profundo, como as gélidas crateras de Uster e triste como as florestas de Calgar. Ele veio do norte, de um lugar desconhecido, onde poucos ousaram ir e menos ainda voltar. Acompanho seus passos até a sala real. Ele está me acompanhando tbm! Vejo ele me estudar a cada movimento. Aquele sorriso discreto enquanto olha para mim mostra que pensa ser superior. Damian, que está ao meu lado, encara o guerreiro com frieza. Mas ele nem parece se importar com isso. Tristan, rei de Ator, espera com sua filha Any e o conselhereiro de missão Tareck, os 3 guerreiros que se aproximam em silêncio até a sala real.

Tristan - "Deixe-nos a sós." Vendo os guardas sairem deixando apenas os 6 presentes no local.

Any - "Steffan." Correndo para abraçar seu escolhido. Não por vontade própria como sabemos, mas sim que com essa união, a paz reinaria com mais facilidade.

O guerreiro olha encantado para ela. A perfeição seria pouco para descrever o que os olhos dele vê. Seu coração acelerou e ele começou a ficar quente quanto ela chegou até ele.

Any - "Sou Any, filha de Tristan, rei de Ator. Quem é vc?" Deixando o guerreiro sem palavras de tão sem graça que ficou. Com a timidez e nervosismo de ter ela perto ele foi se afastando devagar. Situação que ele jamais tinha feito na sua vida.

Damian - "E ele ainda não fala. Do que será útil?" Falando com ar de deboche para todos da sala.

Tristan - "Silêncio Damian. Ele está aqui por ser o guerreiro mais poderoso da região do norte. Esse é aquele que todos chamam de o guerreiro Deus." Deixando todos assustados com o que acabou de ser dito.

Steffan - "Não está dizendo que esse é o... Celus, o Einherjar?" Olhando assustado. Mas com tom de desprezo.

Celus - " E vc deve ser o nobre que acha que pode ter tudo, mas nunca viu a verdade do mundo, que acha que só por que venceu umas campanhas e tem a mão dessa linda senhorita, se acha o melhor, não é?" Encarando Steffan com a frieza de um einherjar.

Uma rivalidade começa a se formar entre os guerreiros. E o orgulho de ambos pode ser a chave para a vitória, ou danação."


(Trecho com possível mudança, claro, de Conto de cavaleiro - O guerreiro silencioso)

Vamos ver se levo em frente essas histórias. É bem legal e tenho muita coisa escrita. Podia fazer isso fácil. Vamos ver se tenho ânimo para continuar.


Saudades do meu amor :(
Mas agora a decisão de ir e vir é sempre dela. Não tenho como falar com ela, só se ela aparecer... é tão triste isso. Mas é o que ela acha melhor. Amo ela demais poxa.

sábado, 24 de julho de 2010

Pesadelo

Que sonho horrível que tive hoje. Para dizer a verdade nem sei se foi sonho. Eu estava num aquário. Acho que era um aquário e tinha um tanque enorme sem nada dentro. Eu pedi para o cara que tava comigo para nadar e ele deixou. Eu tava nadando tranquilamente, sem nenhum problema quando do nada sinto algo pegar minha perna e puxar. Acordei na hora. Mas a pior parte está agora do sonho... ou real. Quando acordei parecia que tinha algo segurando minha perna ainda. Quando tentei mexer senti algo segurando. Meu coração disparou de uma forma que parecia que eu ia der um troço. Tudo escuro no quarto fui tentar levantar para ver o que era e não conseguia mexer os braços. Dai o coração disparou mais ainda. Eu devo ter fica uns 5 segundos assim, no máximo acho. Mas parecia uma eternidade. Quando consegui mexer as pernas de novo, eu estava tão acabado, tão cansado e tremendo que nem louco. Suando demais... que nem fechei mais os olhos para dormir. Olhei a hora... 5h43. Tinha acabado de ir embora da net. Dormi uns 20...30 minutos no máximo. Foda que sentei na cama e nem queria deitar mais de tanto que tremia e o coração disparado. Devo ter dormido lá pelas 7h... ou 8h acho. E a cabeça querendo explodir. Hora minha irmã com meus sobrinhos foi na Liberdade. Nem tava com cabeça para ir. Que foda esse sonho... ou real. Sei lá.

Tirando isso conversei com meu amor. Que foda, sério. Eu fico tão feliz, mas feliz de verdade mesmo quando falo com ela. Sinto falta demais dela. Amo demais ela... e ela sabe disso, tenho certeza. Tão bom "sentir" ela novamente perto. Mas deixo nas mãos dela o destino de nossas vidas. Eu quero ela perto, quero muito mesmo. Mas respeito a escolha dela. Isso não irá mudar o que sinto por ela jamais. Só espero que ela não esqueça de mim quando estiver longe....

Esta um lindo sol hoje. Essas horinhas que "dormi" conseguiram deixar meu corpo um pouco melhor do que estava. Vamos ver se melhoro conforme o dia.