sexta-feira, 30 de julho de 2010

O cavaleiro, parte 2: Chance...

Cavaleiro. Cavaleiro. Cavaleiro. Não enxergas por onde anda? Olhe! Lá está o que vc tanto busca... esse amor que tanto desejou. Se arraste até ela, peça seu perdão. Implore um momento ao seu lado. Mas peça! Peça agora enquanto tem chance. Por que amanhã será tarde demais... e tu sabes disso, nobre cavaleiro. E criando coragem, jogando fora toda a timidez e medo. Chego até vc. E olhando nos seus olhos, busco fôlego mais fundo que posso, para dizer as palavras que jamais ousaram dizer. Oh, meu amor. Olhe para mim, de joelhos por ti. Estendendo a mão para que tu aceites meu coração, meu corpo e minha alma. Não forço a ti nada... apenas deixe o coração te guiar, meu doce anjo. E olhando para os olhos de seu único e verdadeiro amor. O cavaleiro fica em silêncio... esperando aquele momento que sempre buscou. O momento... dela realmente dizer que o quer. Que quer sentir seu toque... sua boca com a dela. Seus cabelos. Seu corpo. O momento em que ela realmente dirá sim para ele. Para que ele a faça a pessoa mais feliz que existe. Esse momento... que só o amanhã poderá dizer... o amanhã... em que ele clamará pelo seu amor.

... não deixe esse cavaleiro em ruínas. Não esse cavaleiro que é o mais bondoso de todos. Esse cavaleiro que realmente, te ama como jamais viu em sua vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário