terça-feira, 29 de março de 2011

Ah, meu amor...

Ah, meu amor...

O seu próprio medo de tentar, 
que causa a ruína dessa relação.
Não é a diferença.
Nem o quanto realmente não pode dar certo.
É apenas o medo de tentar.

Ele que faz ficarmos de joelhos
quando queremos lutar.
Ele que faz abraçar a escuridão
quando queremos nos iluminar.
Ele faz escolhermos o que está na nossa frente
ao invés de desejar.

Apenas o medo! O medo 
que faz desistir sem ao menos tentar.

Não é a insignificância do meu ser!
Muito menos o valor dele em sua balança!
É apenas vc não acreditar.

Não será no silêncio que obterá a solução.
E muito menos tempo para a razão!
É no seu coração! 
O medo de acreditar nele
que faz corromper sua decisão.

Se eu estiver errado no que digo,
então me condene!
Pois de forte para fraco, eu seria.
Se não ousasse conquistar seu coração!


Se tal ousadia for silenciada.
É por que, de fato, nunca tive afeição.
Seu amor.

E então, se for verdade, me abandone.
E deixe nas minhas lágrimas
me afogar nessa vida sem solução.

Por que se tal sentimento que sente, 
vc sempre não quer enxergar.
Então me cegue por favor, meu amor.
Pois mais cego de amor que possa estar,
sempre vejo o que sente por mim nesse olhar.

Acredite! 

Um comentário:

  1. E estou caído aqui, sem vc meu amor! Chorando indefeso. Gritando seu nome para que possa ouvir, o chamado daquele que ousou te amar!

    ResponderExcluir