quarta-feira, 30 de março de 2011

De noite

De noite a noite adentro
vejo no ânimo, minha saudade lhe devendo.
Se desse sentimento não valer como acredito que vale
Então, meu amor, de que minha presença
aqui por vc realmente lhe atrai?

Se a noite que te espero, fosse tão perto.
Então para ti, dar de presente eu espero.
Por que por mais que tente, com todo amor que desejo.
Vc nunca vê, que realmente lhe pertenço.

Então veja, meu amor.
O que sou para ti, senão o devaneio.
Já que para vc,  sou apenas um companheiro.
Não aquele até a morte lhe separe.
Mas apenas um triste e pequeno sofrimento.
Para ti, meu amor de tesouro não cabe
muito menos na parede como de estandarte.

 Mas prometo para ti, meu amor.
Que essa bandeira por ti ao vento balance.
E que levante, como o dia, como a noite.
Com força, e determinante.
Para provar para ti, que meu amor
é vivo e confortante.


Oh, me aceite logo, meu amor.

Por que por mais que tente.
Todo tesouro meu para vc.
Se torna apenas insignificante.
Por que se realmente amas como diz que amou uma vez.
O tempo, para levar isso embora,
só leva se minha vida apagar nesse instante.

 Fique! Fique comigo!
Se realmente me ama, fique.
Por que apenas isso, nesse momento.
É o tesouro que esse cavaleiro chorando
a ti pede, ajoelhado e suplicante. 

Eu te amo!

5 comentários: