quinta-feira, 28 de abril de 2011

Amor mutável

Ao olhar para o céu,
 vejo como poderia ser o amor, se moldando como as nuvens.
Ser limpo se fosse vivido de formas simples, 
mas totalmente escuro quando é dominado. Submisso!
Com pequenos chuviscos de leve para demonstrar o amor, 
para a mais violenta tormenta de raios do ciúmes se compor.
Puro momento de paz, para o mais puro caos da emoção.
Com amores indo e vindo como o vento.
Para a estagnação do verdadeiro amor e emoção!
Indo e vindo! Vindo e indo!
Modificando tudo, virando cada página da vida.
Nunca sendo a mesma coisa. Amando e odiando.
Lembrando e esquecendo. Importante e insignificante.
Como o ar, vital para a vida, o amor é vital para o coração.
Pode ser verdadeiro como o céu azul. Ou falso como o céu poluído ficar.
Cada dia, cada noite, ser cuidado. Para nunca, submisso se tornar.
Como o céu, sempre mudando, é o amor. Se movendo sempre. 
Esperando um lugar limpo, para uma vida simples, estagnar.




Nenhum comentário:

Postar um comentário