sexta-feira, 29 de abril de 2011

Na sombra do amor

Quando a morte e amor se abraçam, o coração negro nasce!
Venha, meu amor! Olhe o mundo que vc me deu quando vc se foi. 
Não tenha medo. Venha ver comigo! Veja!
Veja como mancho com meu sangue as paredes com seu nome.
Veja como caio em desgraça totalmente pelo coração que vc levou. 
Vc cortou minhas asas! Pegou minha alma!
Tirou minha armadura e disse o quanto estou valendo nada!
Aqui eu vou! Incompleto.  Eterno amante das sombras.
Me enterre com meus sonhos! Por que perdi para o amor.
Abrace-me! Sinta a dor do corte. Veja as penas pelo chão!
Manchadas de sangue, pego uma para escrever meu epitáfio.
E dizendo palavras bonitas, tento chamar sua atenção.
Será que consigo? Vc me jogou no chão! Para onde posso voar? 
Vc guardou meu amor em uma caixa e enterrou ele sete palmos abaixo da terra.
Furioso amor deve ser esse, que vc querer tanto castigar. Tanto negar...
ou serei eu um grande pecador para vc não deixar voar?
Me espete com seus espinhos. E escreva meu nome quando eu sangrar.


Não vê o quanto vc me faz ficar? Agora só me resta rastejar...
e por esse caminho, rastejo ao seu lado, sem vc imaginar.
Para quem sabe um dia, vc desenterre meu coração
e possa finalmente cuidar.

Vc é aquela que acabou comigo! Vc é a única!

Eu te amo... e vc poderia me amar tbm!

2 comentários: