sexta-feira, 15 de julho de 2011

Máscara





E assim a máscara é colocada!
E sua alma começa a se despedaçar!
Ela enxerga as sombras! Ela não enxerga a vida!
Apenas a ânsia de possuir o que está em volta.
O que tem de valor nesse lugar!

E assim ela caminha pela pista. Cercada de pessoas de bom coração.
De pessoas felizes que seguem o ritmo dessa canção.
Rodeando elas a cada passo. A cada nota pelo salão. Ela está!
Tentando seguir a dança. Que vê em sua tentativa em vão!
Pois ela é a única vazia nessa lugar com sua ambição. 

Ouvindo a alegre canção da vida, ela não sente nada!
Por que está com essa máscara. Máscara da danação!
Por que ela pouco se importa mais, quando abraçou essa escuridão.
Ela não sabe mais o que é a razão... e muito menos a emoção!
Ela anda perdida, sem nenhuma direção.

Sem saber mais o certo, ou o errado. Ela segue!

Com esse olhar morto. Procurando o brilho do que acha ser amor.
Ela caminha sozinha. Percorrendo a pista inteira!
Sem que ninguém a convide para dançar.
Pois ela sabe que agora, com essa máscara,
o valor para ela, não respira... e nem precisa amar!

E assim, ela acaba de se sepultar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário