segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O cavaleiro, parte 10: Com o coração



Algumas semanas se passaram desde que saiu dos portões do inferno. E o cavaleiro está em uma jornada com seu cavalo rumo ao sul, para se preparar para sua jornada. Sozinho, ele tem lembranças do passado. Lembranças de um momento que será eterno em sua mente. Uma história de amor, uma verdadeira história de amor que ele lembra dia e noite, noite e dia. Ele está tentando seguir a razão. Os princípios de cavaleiro! Mas não pode esquecer de quem que o fez ser o que é hoje. Ele fala com o coração! Ele sente com o coração! O cavaleiro sabe que não pode ser o que não deseja... e muito menos partir em uma aventura sem motivos verdadeiros. Ele para por um momento sua jornada, e fechando os olhos ele começa a lembrar... momento com seu amor. Momentos de verdade! Sem máscara! Não como agora que se esconde atrás de sua capa escura. Se protegendo de sentir. Ele lembra das conversas que tinha. Da forma sempre galanteadora que tinha com ela. Das risadas. Das trocas de carinho. Das palavras de eterno amor que saiam verdadeiras do seu coração! Daquele momento que nem os deuses poderiam tirar dele. O cavaleiro começa a olhar ao seu redor e vê que tudo que é hoje, não é o que ele sempre foi. Ele sente raiva... tristeza... e lembra cada traço do rosto de seu amor. Cada contorno de seu corpo que o enfeitiça gradativamente. Ele desce do cavalo sem saber mais o que seguir... razão... emoção... o cavaleiro tem sua jornada. Mas ele deseja o seu amor de volta. Ele grita seu nome. Grita mais alto seu nome! Esperando que ela ouça de onde quer que esteja. Ele não vai mais lutar para ser frio! Ele quer ser o que sempre foi... o que sempre causou admiração dela por ele. Ele sabe que não a detesta como ela pensa! E muito menos dá esse sentimento apenas por dar. Ele sente, ele vive! E as lembranças que ele trás dizem como ainda vive ela dentro dele. Ele quer lutar por esse amor. Quer dizer bem alto que tem esperança. Que ele é o que sempre foi, e não essa carcaça atual! Ele está sem reação, parado, no meio do caminho com seu coração puxando ele para outra direção. Ela pensa nele, assim como ele pensa nela. Ele está angustiado com o medo de seus atos, e se ajoelha chorando. Pedindo para que uma luz o ilumine novamente. Para que ele ouça os batimentos de seu coração, e assim ele veja que por ela, sempre existe uma razão. Ele espera um chamado... para realmente ver a luz, ou a escuridão! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário