quinta-feira, 25 de agosto de 2011

O cavaleiro, parte 11: O cavaleiro negro



Desde que decidiu seguir o caminho do seu coração, o cavaleiro esperou por um sinal que o fizesse levantar e continuar sua busca pelo amor que tanto ousa amar! Nesse momento em silêncio buscando uma resposta, ele ouviu sussurros de uma voz que nunca deixou o tempo calar. Era sussurros de amor! Do seu amor chamando pelo seu nome. Uma voz que aquece sua alma, e o faz mais vivo do que jamais pudesse estar! Desde sua volta do inferno, vivo novamente depois de ter cometido o pecado de se matar, o cavaleiro pensou que sua alma jamais pudesse ser achada novamente. Mas nesses sussurros ele descobriu que ainda tem uma. E o que realmente mais o deixou feliz... ele ainda ama! Subindo em seu cavalo ele parte de forma que parece ser sem rumo. Mas no seu coração, os sussurros o puxam como se estivesse amarrado! Ele cruza por regiões... estações... os lugares mais inóspitos apenas sendo conduzido por uma voz. O cavaleiro está dias sem parar nessa jornada! Com esperanças de encontrar novamente quem tanto deseja encontrar nessa vida. A viagem é longa, até chegar na mais escura das florestas! Uma floresta perdida no tempo, perdida na vida! Onde quem ousasse entrar, jamais voltaria o mesmo! Ele não tem medo do que pode ter dentro dela. Ele veio tão longe para finalmente encontrar seu amor, que do céu ao inferno, do inferno ao céu. Deuses e demônios ele desafiaria por seu amor! Aos poucos ele vai entrando, e se perdendo na completa escuridão! Nada pode se ver, nada pode sentir! Ele sente mais a morte ao seu lado do que quando andou pelo inferno! O cavalo hesita aos poucos continuar, ele sente o medo... chegando mais e mais próximo. O cavaleiro é tomado pelo toque da morte acariciando seu coração, sua alma. Instintivamente ele pega sua espada. Esperando o pior. Ao fundo da escuridão ele começa a ouvir uma risada que vai aumentando a cada segundo que se aproxima. E enxerga o vulto de um cavaleiro e seu cavalo. Que mostram a marca do tempo, da morte em seus corpos. O cavaleiro está sem reação, se ataca ou não. E antes de tomar uma decisão, ele ouve uma voz que o faz tremer por completo: "Você não pode continuar! Aqui não é seu lugar!". O cavaleiro continua estático diante do cavaleiro que está na sua frente... negro... morto... exalando o medo e a tristeza pelo lugar! O cavaleiro negro continua imóvel na sua frente, murmurando palavras em seus ouvidos: " Muito tempo se passou! Por que quer voltar para o começo de tudo? Vale a pena lutar por ela?". O cavaleiro fica em silêncio por um momento... e a única coisa que ele consegue responder, que vem do único lugar que poderia dizer realmente o que precisa dizer, ele diz sem medo: "Do fundo do meu coração, SIM!". O cavaleiro negro não demonstra nenhuma reação nas palavras do cavaleiro, como se já soubesse o que iria ouvir. Ele tira sua espada se preparando para atacar, e diz : "Mostre merecer a vida que tanto quer amar, cavaleiro!"

A batalha começa...

2 comentários:

  1. Advinha pq eu tinha que comentar logo esse? :P
    Ahhhh perfeito! uHAuuhauHAu
    Não sei porque, mas esse texto me refletiu em algumas partes.
    É bom reviver né?! Voltar a se sentir vivo.

    bjaum Cassius

    Adja ;)

    ResponderExcluir
  2. Uma história bonita, não poderia acabar de uma forma tão triste! Ainda mais sendo verdadeiro o que sente! O cavaleiro segue lutando pelo que mais deseja na vida buscar! Sem medo! Acreditando sempre! :D

    ResponderExcluir