segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O cavaleiro, parte 13: Descansando em seus braços



Com o colar em repouso em seu pescoço, o cavaleiro sente mais perto de seu coração sua amada! E ouvindo a canção ele parte rumo ao próximo destino. Que ele não sabe onde fica! Ele apenas deixa a canção o guiar. Ele precisava ir para o sul! Se preparar para ter forças suficiente para lutar por seu amor. Mas o chamado o pegou de imediato. E ele está em sua jornada com sua vontade inabalável e seu desejo de estar ao lado dela o mantendo firme como nunca antes esteve. Seu fiél companheiro, seu cavalo, também está fazendo um esforço sobrenatural para cruzar longas distâncias e se manter em pé para junto com o cavaleiro, completar sua missão. Os dois estão exaustos. O cavaleiro da sua terrível batalha contra o cavaleiro negro. E seu cavalo por estar dias percorrendo longas distâncias sem realmente descansar! Eles já estão dois dias, talvez três seguindo em um rumo incerto, apenas guiados por uma canção. E já saíram daquele cenário trevoso para uma floresta cheia de vida. Árvores lindas, transbordando com suas flores e frutos. Animais caminhando tranquilamente pelo lugar. Não existe sinal de guerra! Nem violência! Tudo está como se fosse o ciclo natural das coisas, sem a mudança indireta das pessoas. Conforme vai caminhando ele pensa no seu amor! O cavaleiro sabe o quanto a ama. O quanto realmente ele deseja estar ao lado dela!  Ele sente que ela deseja o mesmo. Que ela deseja seu abraço. Suas mãos a segurando forte, sem pressão, sem dominar. Mas uma mão forte acolhedora e protetora. Que vai deixá-la segura que ele é a pessoa que ela deseja ficar ao lado e amar. O cavaleiro sabe que vale a pena e sorri! A linda floresta que ele cruza  aumenta mais esse carinho, esse sentimento por sua amada. Uma brisa suave, com o cheiro das flores logo quando nascem está no ar. Uma sensação pacífica o acompanha. Nem parece que dias atrás estava em um lugar onde a morte estava em cada molécula do ar. Seu cavalo também parece feliz... brincando com as folhas que caem das árvores enquanto continua sua jornada. Eles ouvem os pássaros cantando, felizes, como se fosse o paraíso o lugar que eles estão agora. O cavaleiro vê que aquele lugar é um ótimo lugar para descansar! Afinal, eles precisam recuperar as energias se obstáculos terão que enfrentar! O cavaleiro procura um lugar para isso, e assim o faz. Está tarde ainda, mas já preparou tudo para passar a noite. Perto dali ele avista uma cachoeira e vê um ótimo momento para poder relaxar. A água não está fria, está na medida certa. E depois de tirar sua pesada armadura, ele entra parar descansar e pensar no seu amor! Seu cavalo brinca na beira da cachoeira com os animais. Tudo aqui parece tão perfeito! O cavaleiro pensa em seu amor, se ela está bem. Ele está com saudades dela! Ele acredita nesse amor! Sabe do carinho dela por ele! E por uns segundos ele se perde em seu sorriso imaginando ela ao seu lado. Seus olhos brilham como as estrelas ao luar. De forma inocente ele deseja ela, em seus braços. Beijando-a com todo seu amor, de coração. Ele olha para céu e é cego pela forte e calorosa luz do sol. Tudo parece tão vivo nessa floresta. Na completa paz... harmonia. E nesse lugar o cavaleiro aproveita para se recuperar. Para assim fisicamente estar preparado, como de coração e mente já o  está! Anoiteceu e o cavaleiro já está vestido, junto com seu cavalo perto de uma fogueira feita onde ele vai descansar. Alguns animais estão perto, querendo um pouco desse calor para assim, a noite ficar. O cavaleiro não vê medo deles com sua presença. Parecem tão inocentes. Tão confiantes de que nada o cavaleiro irá causar. O cavaleiro sente o conforto dos animais. Se sente seguro. Se sente ele mesmo; como ele prometeu ser agora para sua amada! Ele encosta em uma árvore e fecha os olhos. E pensando nela ele fala bem baixinho: "Eu vou te conquistar, meu amor! E mostrar sem medo toda a inocência do meu amor! Para assim, você confiar em mim, assim como confio em você! Continue acreditando amor... e me mostre o caminho até seu coração!". A floresta começa a ficar em silêncio com todos indo finalmente descansar. O cavaleiro apenas ouve seu coração batendo. Com a canção bem baixinho sussurrando dentro dele. Como uma canção de ninar... ele vai caindo no sono, como se estive nos braços de seu amor. O cavaleiro dorme com seu amor... para assim, a fraqueza física recuperar!

"Você não pode fugir da fraqueza. Você deve enfrentá-la ou perecer!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário