domingo, 23 de outubro de 2011

Jovens sonhos



Quando os jovens sonhos inocentes são destruídos,
para quem vamos pedir para nos salvar?

Nesse mundo onde a esperança é esmagada no passado,
deixando o presente não valer nada que possa tentar.

Eu tento! Talvez em vão mostrar esse amor.
Com lamentos que ensurdecem a noite, cada manhã!
Que são calados na ausência sufocante da mão que ignora 
cada palavra dita desse jovem amor. Fazendo de novo! Sempre!
Que torna no silêncio de cada palavra, tudo sem valor!

Me sinto o único erro da vida dela!
Que é cruelmente apagado nesses dias frios.
Derretendo pelo ralo como a sujeira que impregna o lugar.

Sou o único erro?

Sento em um canto escrevendo em garranchos esse amor.
Causados pelas pancadas de seus tapas em meu braço.
Não vendo que estou querendo andar na linha! 
Não admitindo que quero fazer bonito e mais certo possível.
Sem cerimônias... sem enrolar você!

Por que não posso ter essa chance?

De realizar esse jovem sonho ao seu lado que é o amor.
Que caminha quebrando o silêncio nesse lugar que fiz para você.
Golpeando esse medo que a insegurança faz negar.
Mostrando que estou aqui para ficar!

Esperando você enxergar isso, e querer completar
esse amor que tenho, que sem você, nunca irá acabar.

Esperando esse jovem sonho, esse jovem amor juntos crescer...
... e assim nunca mais desgrudar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário