quarta-feira, 18 de abril de 2012

Paraíso ilusório



Meu amor! Meu amor! Por que está tão distante?
Sentada em algum lugar, onde minha voz não vai.
Olhando distante, seu amor tão longe de você.

Meu amor! Meu amor! Não deixe a felicidade em outro lugar!

Perdida em seu reino, meu amor vive só!
Cercada de beleza, mas sem verdade e vida para alegrar.
Não peca na escolha, mas pela escolha agora só está.
Meu amor! Meu amor! No falso paraíso aprisionada está!

Procurando no nada, seu amor para a salvar.
Deixando batendo, seu triste coração o chamar.
Sabendo que seu amor, assim também em algum lugar faz.
Meu amor! Meu amor! Por que continua assim se sacrificar?

Um dia. Dois dias. Ela se arrasta pelos cantos.
Chorando por dentro, o paraíso carcerário que vive agora.
Desejando ser livre, ser feliz e amar...

Desejando um amor, que sempre pediu para ela acreditar...
Mas suas escolhas, a prenderam sem poder voar.
E sentada em um canto, ela pode apenas sonhar.
Um vida feliz, com um amor de verdade provar.
Sem cordas prendendo, sem grades, podendo andar.

Meu amor! Meu amor! Quando terás coragem para me chamar?

Não deixe! Não deixe! O tempo passar...
Jogando o comodismo, onde o amor nunca pode ficar!
Enfraquecendo a esperança, de um amor verdadeiro saciar. 
Lute por eles amor, para dessa ilusão escapar!
E assim esse amor, que uma vez disse amar provar!

Acredite! Acredite! Esse sonho realizar!

Por que, meu amor, eu... te... espero... chamar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário