sexta-feira, 11 de maio de 2012

A armadilha da triste canção



Nas trevas, ela canta o seu ego entre as multidões. 
Saboreando a beleza, que atrai os corações.
Cantando sua triste melodia onde passa, cativando as emoções.

Deixando sua vida, repleta de maldições, atraindo todos com lamentações.
Vagando entre as vidas, dando a tristeza, em troca de corações.

Lá vem ela pela noite, buscando por pessoas.
Tocando seus corações, com a dor das suas canções.
Ecoando pela noite, seus lamentos sem soluções.

Buscando assim conquistar o seu coração, que se ajoelha sem hesitação.
Esfriando em seus lábios seu corpo, com palavras que seduzirão.
Acorrentando sua alma no destino, da danação.

Tampe os ouvidos, que sua voz está chegando.
Com seu olhar metamorfoseando a alma, escondendo suas intenções.

Com o corpo e seu toque, arranhando suas proteções.
Deixando você indefeso contra seu corpo, e os desejos da sedução.

Lá vai ela, tocando sua triste melodia, tentando chamar a atenção.
Dos indefesos, que olham a melancolia, nas suas palavras de solidão.
Baixando a guarda, vitimando suas ações.

Nos braços daquela, que não tem sentimentos, e o ataca sem perdão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário