terça-feira, 1 de maio de 2012

Devoradora de almas apaixonadas



Em suas mãos, o sangue inocente aparece.
Daqueles que sua ânsia vitimou, que sua ânsia usou.
Marche pelas sombras soando seu cântico fúnebre, sereia infernal
Atraindo o sentimento de todos, para seus prazeres alimentar.

Ela caminha pelas sombras, rastejando pelos cantos.
Acompanhando o som dos corações, que por você batem por amar.
Enganando todos, para assim perto chegar! Doces vítimas desse falso amor!
Ela apenas brinca com vocês! Ela apenas quer sua vontade saciar!

Não deixe seu coração bater, por aquela que apenas quer te magoar.
Dizendo que te ama, ao mesmo tempo que outros ela diz também amar.
Derrame seu sangue! Faça o sacrifício! Mostre que por ela você é verdadeiro,
e verdadeiro ela jura te amar!

Sacrifique-se pelo amor! Comemore o amor recíproco! Viva!
E veja a lua cheia chegando, com seu amor o sangue derramar.

Veja! Veja a dor rachando seu peito, com as palavras que soam vazias agora no lugar.
Olhando em seus falsos olhos brilhantes como o céu, o amor que ela dizia tanto amar.
Sinta sua mão em seu peito! Sinta ela arrancar seu coração por inteiro.
Sujando suas mãos com seu sangue, daquele amor que você quer dar.

Indo embora sem desculpas, deixando se arrastando no chão, mais uma vítima da sua dor.
Daquela que nunca é amada, nunca sabe o que realmente é o amor.

Ela rasteja de madrugada, chamando você, dizendo o que sente na dor.
Se fazendo de vítima, até você socorrê-la em seus braços...

Para com as palavras te seduzir, e assim mais uma vítima atacar.
Se alimentando do amor verdadeiro, sem nunca se importar.

Lá vem ela pela noite, chorando sua dor, para mais um prêmio conquistar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário