segunda-feira, 14 de maio de 2012

Escudo contra o falso amor



Queimando as beiradas do amor impossível, desejo apenas ele cuidar.
Deixando intocável aquele amor rejeitado, usado por quem quis tanto dar.
Derretendo com a cera quente que cai em meu peito, criando o escudo que não vou tirar.
Espalhando por meu coração a quente camada, que manterá ele vivo até meu fim chegar.
Onde arrancarei com minhas mãos essa parte quente, deixando o frio entrar.

Vejo que o amor foi apenas da minha parte, sem a outra parte por ele lutar.
Onde meu coração está na liberdade acorrentada de amar, por aquela que não sabe amar.
Que deixa de lado os sentimentos, buscando sempre outro para trocar.

Ah, vida triste, como pode ter pessoas assim?
Que deixam a coragem de lado, esquecendo a liberdade que o amor é capaz de causar!

Sem deixar ele voar, para onde suas asas querem levar.
Se satisfazendo apenas com o vento, que te joga para qualquer lugar.
Para onde apenas os dias que passam, fazem você aceitar.

Vejo meu coração se fechando com a cera que cai sobre ele.
Sabendo que está preso, até um verdadeiro amor achar.
Com coragem suficiente para a liberdade dar.

Fechasse... fechasse novamente para o mundo.
Onde seu amor não foi suficiente, pelas pessoas pouco valor dar.
E espere o momento certo, onde será único para quem querer te amar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário