sexta-feira, 25 de maio de 2012

Frias escolhas



Intensamente, ela procura por algo!
Que a deixe respirando nesse dia, tão frio.
Tentando se aquecer nos braços, daquele que ela nunca viu.

Ah, rainha do gelo, dama do sangue frio, sem sentimento.
Como sonhas com seu amor, se o calor dele está sempre ausente?
Desejas novamente o sangue pulsar em seu corpo?
Deseja sentir bater o amor no seu coração?

Ela chora as lágrimas afiadas desse amor.
Cortando sua alma sem nenhuma dor.
Deixando seu rastro no chão, sem nenhuma cor.
Nesse mundo gélido que vive, sozinha, sem calor.
Daquele que ela ama, mas o afasta por não ter valor.

Como é triste seu mundo!

Onde a cada passo que dá, congela toda a vida, deixando apenas dor entrar.
Daquele sentimento que tanto deseja, mas o rejeita por não ter o preço que faz conquistar.
Nesse mundo estranho que ela escolhe, mas querendo outro, ela sonha, sem lutar.
Achando que tudo que a cerca tem que ser teu, sem merecer, nem lembrar.
Nesses dias frios, que ela escolhe, para sofrer e os outros culpar.

Dama! Dama! Dama!

Quando você vai perceber que seu tempo se foi, e no frio vai ficar.
Sem esse amor que deseja, mas nunca fez nada para fazê-lo te amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário