domingo, 20 de maio de 2012

Tortuoso amanhã de amor



Se minhas palavras machucam, de tua ação assim ela começou!
Ferindo minha confiança, com a falsidade que o tempo não guardou.
Existe amor ainda entre nós?
Pergunto para ti...

Pelo amor assim por mim clamado, e manchado como traidor por ti.
Mergulho no esquecimento investindo minha fé sem te dar o perdão.
Por toda essa vida que me deu, sem a verdade me dar por tanta devoção.
Peço para ti, ah amor, amaldiçoe meu caminho até o lugar do amanhã.
Para queimar minha alma, com esse sentimento que você rejeitou.

Vejo o pecado batendo dentro de mim, cortando minha alma em pedaços.
Por sentir tamanho sentimento, por você que nunca se importou e fez descaso.
Escolhendo seu campeão para o público, e me jogando nas sombras do fracasso.
Onde esse amor foi insuficiente para ti, nem para uma verdade sua ter ganhado.

Corte minha garganta! Deixe meu ar acabar!
Libertando minha alma da ruína, desse amor que tanto ouso amar.

Puna-me! Puna-me deuses por ser tão tolo!
Imundando meu corpo de feridas, que nunca irão cicatrizar.
Corte meu corpo! Queime meu coração! Destrua minha alma!
Nessa brincadeira que sempre foi, com meu corpo que apenas ela quis usar.
Sem considerar meu amor, de tão forte me fez chorar por sua negação.

Agora caminho sozinho, deixando minhas cinzas em cada amanhã.
Se desfazendo aos poucos por tamanha inocência que esse amor fez acreditar.
Por ti um sonho, que por suas ações nunca vão se realizar.
Deixando nas trevas minha vida por acreditar.

Existe amor ainda entre nós?
Nessa traição que essa vida com você, ganhei por te amar.
E morrendo, não deixei de saciar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário