terça-feira, 12 de junho de 2012

Doce anjo da falsidade



Lá está ela, de jeito inocente, com o pecado em mãos.
Esperando um amor, que não tem mais solução.

Amor dado para um, dado geral!
Naquele amor diferente, que tanto quer pregar.
Esperando, uma oportunidade de voltar, para assim conquistar.
Aquele que ela sente ser dona, para novamente pisar.

Para que olha tanto o passado, doce dama?
Se esse mesmo passado, você mentiu, e nunca quis a verdade contar!

Lá está ela, prometida nesse seu amor.
Que de amor tem nada, de sujo e escuro que ofusca só de olhar.
Sem nenhum brilho, que esse sentimento tão nobre tem quando amar.
Chorando sua tristeza, com lágrimas que desaparecem todas sem enganar.
Aqueles que sentem com o coração, vendo ela enganar, apenas para usar.

Veja, a doce dama sofrendo em seu canto.
Segurando seus pecados, como se isso fosse sumir nesse esforço.
Que tanto deseja mostrar sendo pura, escondendo as mentiras em um canto.
Brincando com todos que estão ao seu lado, para conquistar esse posto.
De ser querida para todos, sem ter por ninguém gosto.

Lá está ela, dizendo amar.
Mostrando que na verdade, não se importa, e apenas deixa o tempo passar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário