quinta-feira, 14 de junho de 2012

Covarde liberdade



Fingindo amar alguém, ela espera a morte chegar!
Enganando quem diz que ama em todo lugar!
Deixando a morte chegar, para assim livre ficar.

Ela espera, fingindo sentir a dor do amor que partirá,
mostrando um coração, que nunca bateu em nenhum lugar!
Chorando pelos cantos a possível perda, só deixando o tempo passar.
Vendo o amor partir, sem nunca ter amado de verdade.
Deixa as chances de redenção passar, sem nunca se expressar.

Ah,  dama sem coração, por que espera tanto para largar?
Vendo  o amor morrendo, ficando com outros sem amar!
Esperando o chamado, para assim livre ficar.

Vejam! Ela olha todos se afastando, achando certa estar!
Pegando o amor emprestado, para assim dizer ter um para se dedicar.
Ficando ao lado de alguém, enganando todos no lugar.

Venha! Venha comigo dama da mentira!
Abrace-me para livre ficar! E nenhuma mentira mais falar!
Vamos! Me dê sua mão!

Para assim o mundo ficar livre de você!
Que tem o coração negro, e com os outros nunca se importará!

Nenhum comentário:

Postar um comentário