quarta-feira, 20 de junho de 2012

Minha vida, minhas escolhas



Mundo. Mundo meu!
Por que castiga tanto aquele que te ama, e nunca roubou nada teu?

Deixando os caprichos divinos ditarem nosso caminho.
Com a tola fé daqueles que deixam tudo escrito, como se isso fosse definitivo.
Nesses ventos que levam, sem saber que suas ações apenas a ti pertencem,
e nenhum outro mais pode fazer praticar!

Por que deixa a vida levar, com tamanha blasfêmia que é essa, de achar que tudo já está decidido?

Ah, mundo, imenso mundo desconhecido, que com seus mistérios, nos fazem buscar sempre um amanhã.
Não me deixe me afogar em tamanha estupidez, que vejo em outros, amarrados em cordas invisíveis,
que puxam suas ações, como se fosse outros que tivessem puxando.

Não deixe esconder minhas responsabilidades nas decisões, com imatura explicação.
Com tamanha falta de observação, que me faz achar que tudo é certo, mesmo cometendo atos de traição.

Peço para ti que me envelheça antes de corromper em tamanha mentira.
E ilumine minha mente, para todas as escolhas que fizer, seja apenas minhas.
Sem nenhum destino estúpido para dizerem que tive que caminhar, por assim estar escrito.

Sou livre! Sou o que sou! 
Com minhas escolhas e desejos!

Cortando todos os fios do destino que dizem para onde devo ir.
Deixando minhas escolhas dizerem o caminho que tenho que seguir.
Consciente de todas minhas ações, até o último suspiro chegar.

Sem roubar meu coração. Sem roubar minha alma.
Me apoiando em bengalas imaginárias, que me livram de todas minhas punições.
Levanto a cabeça desafiando as divindades, alcançando onde quer que seja.
Sem depender de vocês para onde vou caminhar!

Mostro para meus verdadeiros deuses.
Que meu wyrd é apenas meu! E assim sempre será!

Mundo. Mundo meu!
Estou aqui por você, consciente de minhas ações!
Sabendo que tudo que faço para ti, destino algum me obriga a fazer.
Que sem ser covarde, mostro que é escolha minha.

Morrer ou viver...


Nenhum comentário:

Postar um comentário