segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Sem amor



Imunde meus braços com seu sangue.
Que escorrem de suas presas, pelo corpo.
Escondendo sua pele, que é podre.
Escondendo as feridas que causaste nas pessoas de amor.
Que sem reação caiam, tarde demais para lutar.
Tarde demais para a ferida cicatrizar.

Olhando em seu belo rosto o amor que sempre procuraram!
E em seus lábios, que tu engana, a inocência do coração.
Com palavras que tuas nunca serão! 
Mas ditas para conquistar sua satisfação!

Ah, como caímos tanto assim de nosso céu.
Deixando as palavras satisfazerem os sentimentos, aliviando as feridas do coração!

Nos enganando em desejos, que sempre dirão!.
Dopando nosso corpo com seus cortes!
 Nos mostrando esperança onde só existe danação!
Deixando eternas marcas na inocência, que nunca mais esquecerão!

Rasteje pelo mundo das pessoas que te usam!
Deixando elas rasgando seus sentimentos, por algumas moedas que logo perderão!
Rejeitando o sentimento que eles não conhecem, e nunca conhecerão!

Sinta a dor do amor, inocente!
Que deu com toda sua alma, para no final, vazio estar.
Esperando um milagre do céu que sempre esteve.
Percebendo que desse céu, todos os sonhos sumiram.
E nenhum deles se realizará!

Sofrendo agora nessa terra de malditos!
Que te usaram, e deixaram você sozinho sem salvação.

Carente!

Esperando novamente o amor chegar!
Consciente que ele foi embora!
E quem roubou nunca mais devolverá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário