domingo, 8 de dezembro de 2013

Livre... e principalmente, completo!

Faz muito tempo que não me sinto tão livre assim, como estou me sentindo agora! E isso é tão bom.

É complicado tentar viver a vida, tentando buscar seu espaço nesse mundo, interagindo com outras pessoas. E no meu caso, sentia isso nesses últimos anos. Primeiramente, eu tinha em mente deletar esse blog, mas a preguiça e a necessidade de falar em um lugar, que tenha um histórico desse pequeno tempo da minha vida, era necessária. Mas voltando para o que estava falando, é de certo ponto complicado você querer um espaço no mundo, onde está diretamente ligado com alguém. Nesse tempo de transição que eu tive, nesse pequeno espaço de tempo, que diz o tempo de vida desse blog, acabei percebendo que nem sempre é como queremos. E isso muitas vezes deixa você triste, outras alegre.

Uma coisa que aprendi, é a ouvir as pessoas. E aos poucos abrir os olhos para os problemas ou situações que eu desejava ter na vida. Com o tempo você para de sentir necessidade de algo, e simplesmente deixa a vida levar. No meu caso, deixei levar o fato que quero ser feliz! Quero ter comigo pessoas alegres. Pessoas que passam esperança, amor e confiança. São poucas no momento que tenho perto, mas são suficientes para me dar espaço para conhecer pessoas novas, como estou fazendo atualmente. 

Nesse espaço de tempo que o blog está vivo, estive no meio de bastante coisas tristes. Coisas que por mais que eu tentasse dar continuidade. Não chegava no lugar que eu desejava. E por mais que eu tentasse continuar, não dava certo e pelo jeito, nunca iriam dar. E quando a panela de pressão explodiu, os olhos abriram. E naquele momento de iluminação, enxerguei todas as coisas erradas que estavam acontecendo, e cortei logo a raiz.

Isso me tirou um peso titânico das costas. Parecia Atlas carregando tantas obrigações, sem ser obrigado a fazer essas obrigações. Eu fiz, por que queria provar que queria fazer as coisas certas. Ter pessoas no meu espaço de mundo. E depois de tirar esse peso, sabe a sensação de não ter responsabilidade mais. Que tudo que podia ser feito, foi feito. Sem obrigação de continuar tentando algo. E sem cobranças.... éééé, a vida se tornou tão viva agora. E conversando com meus amigos, vi que eu realmente fiz o que tinha que ser feito. E decidir não continuar a pisar em pedras pontudas por esse caminho, foi a melhor coisa que fiz.

Liberdade não apenas física, mas a mental é a melhor sensação do mundo. E hoje, eu posso dizer que estou completo novamente. Buscando voltar a ser feliz, alegre, como sempre fui. Sem deixar o passado me atingir, como estava fazendo sempre que voltava. E se voltar, que eu continue lembrando que para ser feliz, não preciso buscar meu espaço com ninguém. E que cada um sabe viver sozinho, até que tenha coragem, maturidade e o querer, para estar com alguém.

Livre... e principalmente, completo! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário