sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Pela sua fé



Trema chão que caminho, bebendo o sangue oferecido.
Ouvindo o grito do meu inimigo, a cada coração partido.
Oferendo para os deuses as cabeças, mostrando no rosto o sorriso.

Avance cavaleiro! Mate um! Mate dois!
Não deixe ninguém em pé nesse campo maldito.
Corte! Degole! Esmague! Perfure! Massacre todos!
Manchando de vermelho o tabuleiro, com a vida e a morte.
Escrevendo com honra sua história na derrota do inimigo.

Ouça! Ouça os gritos! Ouça o chamado divino!
Com os tambores incansáveis tocando, avançando todos triunfantes.
Gritando com sangue e glória cada cabeça rolada, cada inimigo caído.
Limpando sua alma, pelos pecados cometidos!

Não pergunte o por que, cavaleiro!
Carregue o peso no braço, com lágrimas no corpo escorrendo na terra..
Fedendo o sangue em sua boca, a ferrugem no coração.
Pintando a mão de vermelho, apodrecendo sua devoção.

Ataque cavaleiro! Não pare!
Machuque os outros pela sua dourada jornada.
Pela sua santa terra, sua sagrada nação.
Tirando de todos o que tem, tirando de você o que pegou.
Empobrecendo sua busca, por sua tola ambição.

Esmague suas armaduras! Rache seus crânios! Perfure seus olhos!
Não deixe nenhum vivo, por escolhas do seu rei, com medo de retaliação.
Quebre seus ossos! Perfure órgãos! Destrua suas vontades!
Pela sua fé, que nenhum outro tem, e absoluta é na vida de todos sem rejeição.

Sem culpa! Sem pecados!
Pelos deuses que estão sorrindo.
Pela maldade feita pelas suas mãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário