terça-feira, 11 de março de 2014



E meu amor, único amor, está sempre batendo dentro de mim!
Tentando viver novas vidas, novos amores.

Mas no final, fico só, por que é você que desejo!
E você que amo!

sexta-feira, 7 de março de 2014

          

Ando meio cansado esses últimos dias!
Acho que enjoei de escrever nesse blog!
         

quarta-feira, 5 de março de 2014

A corrente do passado



Ao sul vejo você, sentada passando o tempo.
Sentindo o calor de um amor que foi, mas presente sempre você faz estar.
Deixando o passado e presente unidos, sem o futuro chegar.
Esquecendo tudo em volta, onde eu quero uma chance tentar.

Como a distância de ver você tortura meu caloroso coração!
Que deseja ter você nos braços, nossos lábios juntos no amor e na paixão.
Aquecendo nossos sentimentos, onde o frio não nos causa nenhuma preocupação.

Me chame de onde está, dama do gelo! 

Faça queimar meu corpo, por esse sentimento, sem nenhuma ilusão.
Dando para mim essa chance, e essa chance não perderei, pois ela é
suficiente para demonstrar meus sentimentos sem medo, sem hesitação.

Lá, vejo você bem longe no frio, chorando por um amor.
Construindo castelos de um reino, sem rei para reinar seu coração.
Deixando distante aqueles que querem um momento, de mostrar seu valor.
Reinando ao seu lado esse mundo, sem palavras geladas, sem ausência, sem negação.
Juntos, onde o sentimento pode derreter toda essa muralha que constrói.
Protegendo alguém que se foi, e a deixou no tempo esperando com dor.

Vejo ao sul, minha rainha do gelo! 
Torcendo que ela me veja, para uma chance tentar.
Dando meu calor em sua vida, para o amor ela provar.
Sem solidão, sem frio no coração.

Onde juntos vamos mostrar, que o passado é apenas uma opção.
E o presente está aqui, onde meu amor quero dar, junto com meu coração.

Filmes 56 - 2014, parte 03

          E aqui estamos para mais uma postagem sobre filmes, que aliás, realmente foi monstruosamente bem aproveitada nesse carnaval! Assisti tanto filme, que minha cabeça está explodindo de informações e histórias. A pena que são poucos que realmente são novos para poder comentar, já que abusei de clássicos e mais clássicos nessas escolhas. Mas vamos deixar de conversa e falar dos filmes que assisti nessa parte 03, dos filmes novos que assisti em 2014.

          ***Robocop (Robocop 2014) - Um remake esperado por praticamente todos os interessados em filmes de ação e fãs do filme clássico. José Padilha deixou bem amostra seu estilo de filme nesse remake. O engraçado que o mundo mostrado no primeiro Robocop, lembra muito o que o Padilha faz em seus filmes. Sociedade decadente. A exploração do homem pela indústria, pela máquina, tirando sua vontade, suas decisões. A lei sendo engolida a força. A luta da máquina pela sua humanidade, sabendo que perdeu tudo que era, mas mesmo assim tenta continuar. Tiraram a violência, mas isso até é aceitável por que os tempos são outros.
       
          ***Pompéia (Pompeii 2014) - Ao contrário daquele Hércules fajuto que vi da última vez, esse é muito legal. A história mostra os últimos dias de Pompéia, antes da sua destruição. Então, quem gosta de desastres naturais, lutas em arenas, romance, esse é seu filme.
       
          ***A caça (Jagten 2012) - Muito bom esse filme. É aquele tipo de filme que vc fica realmente pensando o quanto uma mentira pode se tornar verdade, ainda mais por quem que falou ela. E isso pode simplesmente acabar com a vida de uma pessoa. É ótimo o filme Mad Mikkelsen está muito papel. Ótimo filme, de verdade.
       
          ***Caçadores de obras-primas (Monuments Men 2014) - Eu gostei do filme. Achei ele bem natural desenrolando a história desse grupo de "soldados" de vários países, buscando recuperar obras roubadas pelos nazistas. Não é um filme de ação, então não esperem eles entrando no meio de combates. São pessoas comuns apenas tentando recuperar o que pertence a humanidade antes que sejam destruídas ou perdidas no tempo.
        
          *** Crows Zero (Kurõzu Zero 2007) - Eu adorei! Eu conhecia o anime. Sabia do mangá. Mas o filme, esse realmente surpreendeu. O que mais me chamou atenção é que os atores são muito parecidos com os personagens no mangá. As lutas são ótimas. E a história de um jovem que chega em uma escola dominada por gangues. E para ser o mais forte de todos, tem que ir subindo na hierarquia. Lembra muito coisa de videogame. Chefões. Eu gostei demais! Sem nada apelativo nas lutas. Luta de homem. Soco. Chute. Cabeçada. Sem regras, mas com honra. Sangue. Luta de verdade! Me deu vontade de começar a ler as histórias, por que realmente gostei. Quem curte esse tipo de coisa, é um prato cheio.


          Bem, quem assistiu algum deles e quiser deixar seu comentário aqui, para ter uma conversa sadia a respeito. Seja bem vindo!

          Abraços e beijos! Fui!

terça-feira, 4 de março de 2014

Diferenças

          Boa tarde para todos!

          Ontem foi uma overdose de filmes que acabei ficando doido de tanto assistir. Assisti vários filmes de terror clássicos: Mestre dos desejos. Sexta-feira 13. Contos de Stephen King. E alguns outros que se tornaram bem cults como Pulp Fiction, Donnie Darko, Clube dos cinco, entre outros. Aliás sobre esse último que fiquei mesmo pensando muito. O filme é de 1985 e mostra tanto 2014 para nós. Cinco tipos de adolescentes, comuns nos dias de hoje, juntos, com seus mundos diferentes, mas com coisas em comum que nunca quiseram ou se importaram em saber. O nerd. O esportista. O machão marginal. A Princesinha. A estranha. Todos com suas diferenças, mas no final tão iguais.
          E isso me fez voltar para a época de escola. Eu nunca fui nenhum desses. Talvez o estranho seja o mais próximo que poderia ter chegado. Mas nunca sofri bullying, por que em algumas coisas de esporte me destacava. Ou uma vez ou outra tirava notas boas. Sempre andei no limbo de todos esses tipos. Interagia com todos, mas ao mesmo tempo, ficava longe deles. No esporte nunca tive carisma ou simpatia dos atletas mesmo da classe. Sempre ficava no time dos "estranhos".
          Quando era algo individual, como as lutas que tinha, me destacava e todos lembravam de mim. Tanto que colocaram meu apelido de açougueiro, por que sempre que tinha luta, não pensava duas vezes em quebrar a pessoa. Como nerd eu me destacava quando me interessava o assunto, não sou aquele cara de querer agradar professor, ou realmente seguir as regras, tirar notas altas e todo mundo ficar olhando. Eu tirava o que importava para continuar. A questão de ser melhor ou não só importava a mim. E o conhecimento que eu quero, apenas eu podia procurar para saber. O marginal nunca foi meu estilo. Cabulei aula uma vez na minha vida apenas para minha mãe me trocar de uma escola, para voltar para a antiga que eu estava. Nunca fui de arrumar suspensão. Bilhetes da diretoria. Talvez o que mais recebia era bilhete para a mãe assinar, por que esquecia de fazer os deveres. Brigas evitava. Evitava me expor. Não entrava em briga dos outros. Apenas queria que a aula terminasse para voltar para casa. Nunca fui popular! Então nem sei o que é ter as pessoas atrás de você idolatrando e babando, como se eu fosse um deus. E o estranho... esse era o que mais me identificava! Nunca ia na onda dos outros. Escrevia e pensava o que tava afim. Ficava no meu canto, com meus gostos, interagindo com pessoas excluídas, geralmente os nerds. Não tinha meu espaço realmente completo em nenhum lugar. Sempre andando pelas tribos, como se fosse um fantasma. Talvez isso que fez que não sofresse bullying na escola. Era forte suficiente para me proteger, se algum idiota quisesse arrumar confusão. E esperto suficiente em algumas áreas para os nerds não ficarem rindo quando andava com eles.
          E por isso que eu me identifico tanto com esse filme. As pessoas ficam com medo da pessoa  x ou y. Mas nunca se importaram com quem realmente ele é. Ficam presas em seus julgamentos, no que as pessoas falam, e perdem várias oportunidades de conhecer pessoas legais. E o triste disso tudo, é que ainda hoje, exista separação e descriminação como vista no filme. Existe essa separação quase obrigatória, onde você escolhe um grupo e se tentar sair dele, está ferrado. Já andei por tantos grupos, que atualmente eu falo que o grupo que ando é o meu! Meu gosto, minha opinião, meus pensamentos. Se você não gosta, tudo bem, é seu direito. Mas que seja a sua opinião essa e não dos outros. E o filme mostra essa união obrigatória por causa da detenção e sem poder fazer nada, acabam se conhecendo. Vendo que por mais diferente que eles fossem, tinham problemas iguais. Que no final não eram tão diferentes assim. Para mim devia ser obrigatório esse filme em escolas.
          O que posso falar é se separar por tribo é uma opção e tem que ser respeitada. Mas julgar o outro por não ser da sua turma, uma completa babaquice. Conheça primeiro a pessoa antes de sair atacando as pedras. Você pode achar uma pessoa legal e interessante do outro lado.

segunda-feira, 3 de março de 2014

Juntos



O tempo passa e os amores vão e vem.
E meu coração sincero jamais fugiu e nem te esqueceu.
Em seu braços agora estou, e assim vou querer, sempre.
Sem medo ou dúvidas agora por esse amor, lutar irei.

Olho o tempo que passei seguindo a vida, e agora retornei.
Para um ponto onde queria ter ficado, e agora você diz e ficarei.
Com você, apenas você, nessa história que temos que continuar
para mostrar um final feliz, por amar, por escolher.

Vamos meu amor, nossa história começa agora.
Sabendo que podemos tudo fazer, sem nada temer.
Diante de todos os obstáculos iremos lutamos, vamos.
Por que assim tem que ser.

Sem esconder o que sentimos do mundo, de um para o outro.
Batendo forte os corações, querendo toda hora esse momento ter.

Longa viagem terei para ter você em meus braços.
Lutando com amor e vida contra meus inimigos, o tempo.
Esperando voltar todos os dias em seus sonhos
prometendo que te amo.

Para quando meu navio atracar, ver que está lá meu amor.
Para abraçar, dar um beijo e viver.

sábado, 1 de março de 2014

Adagio - The Darkitecht



THE DARKITECHT

Standing at the edge of life, questioning the moon,
Riding some black unicorns, shadows will come soon
What will be my face tomorrow,
Will I crawl on sand?
Is there any known feeling, on this mourning land?

Cold winds whipping my back,
Throrns handcuffs sharpening my wrists,
My dreams are fading away
Winters light is failing away,

I am the star charmer, the spell keeper,
Bound to me, all the chains to reverie
Open, the main door if you find the key,
But remember, your memories belongs to history

Progenies of night and moonlight,
Dancing towards me
A dark black and hazy waltz,
With a frightening melody,

The road is long and sad,
I'm alone out in the cold,
Thought I was going mad,
Maybe I'm simply getting old

Cold winds whipping my back,
Throrns handcuffs sharpening my wrists,
My dreams are fading away
Winters light is failing away,

I am the star charmer, the spell keeper,
Bound to me, all the chains to reverie
Open, the main door if you find the key,
But remember, your memories belongs to history