quarta-feira, 5 de março de 2014

A corrente do passado



Ao sul vejo você, sentada passando o tempo.
Sentindo o calor de um amor que foi, mas presente sempre você faz estar.
Deixando o passado e presente unidos, sem o futuro chegar.
Esquecendo tudo em volta, onde eu quero uma chance tentar.

Como a distância de ver você tortura meu caloroso coração!
Que deseja ter você nos braços, nossos lábios juntos no amor e na paixão.
Aquecendo nossos sentimentos, onde o frio não nos causa nenhuma preocupação.

Me chame de onde está, dama do gelo! 

Faça queimar meu corpo, por esse sentimento, sem nenhuma ilusão.
Dando para mim essa chance, e essa chance não perderei, pois ela é
suficiente para demonstrar meus sentimentos sem medo, sem hesitação.

Lá, vejo você bem longe no frio, chorando por um amor.
Construindo castelos de um reino, sem rei para reinar seu coração.
Deixando distante aqueles que querem um momento, de mostrar seu valor.
Reinando ao seu lado esse mundo, sem palavras geladas, sem ausência, sem negação.
Juntos, onde o sentimento pode derreter toda essa muralha que constrói.
Protegendo alguém que se foi, e a deixou no tempo esperando com dor.

Vejo ao sul, minha rainha do gelo! 
Torcendo que ela me veja, para uma chance tentar.
Dando meu calor em sua vida, para o amor ela provar.
Sem solidão, sem frio no coração.

Onde juntos vamos mostrar, que o passado é apenas uma opção.
E o presente está aqui, onde meu amor quero dar, junto com meu coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário